Mundo Higeia

Bem Vindo a este Mundo!

segunda-feira, 9 de julho de 2012

O nosso Dialogo Interno

imagem copiada net

O que é que eu, você e todos temos em comum?
O DIALOGO INTERNO.

O que é que tem em comum os ataques de pânico, a depressão e a ansiedade?
UM DIALOGO INTERNO NEGATIVO.

O que dizemos a nós mesmos, ou seja o auto-dialogo, cria em nós varias emoções, por sua vez estas levam-nos atuar de determinada maneira.

Este auto-diálogo na maioria das vezes é feito de pensamentos automáticos, é um pensamento que vem automaticamente, como por exemplo: “não me vai correr bem”, “com esta idade já não encontro trabalho”, “ isto pode indicar que tenho um problema da saúde grave”, “…”. 
E qual é o mal destes pensamentos automáticos?
É nós aceitá-los como verdades, como se fossem certezas.

Os 4 Tipos de Auto-diálogos negativos
Dialogo Ansioso
Pertence a quem pensa “e se eu fico sem trabalho?”; “e se ninguém me quiser?”; “ e se não conseguir cuidar dos meus filhos?” “ e se meu companheiro gostar de outra?”.
São perguntas carregadas de pensamentos catastróficos.
Estes pensamentos dias e dias, disparam emoções negativas, e por sua vez estas criam o dialogo interno negativo e ansioso, é a pescadinha de rabo na boca.

Não é a vida, as situações que criam emoções, mas sim as nossas crenças frente às situações.

Diálogo Auto-Critico
“ Já me enganei outra vez”; “ eu sabia que vaga no trabalho não era para mim”, “ eu não consigo”. 
Este tipo de pensamentos surge em pessoas que foram criticadas em criança pelos pais ou avós ou professores, e os fizeram acreditar que “ não valem nada”.
Estas pessoas não só criticam a si mesmas como aos outros, etiquetam tudo o que vêm, rotulam os demais, e na maior parte das vezes negativamente, como “é tonto”, “olha como está vestida”,etc.…

Dialogo de Vitima
“ Eu sofro muito na vida”, “ tudo me acontece”, “ ninguém me entende”, “ ninguém me ajuda”, “ comigo foi pior”.
As pessoas com diálogo interno de vítimas, ficam cheias de lastimas, convencidas que sofrem aquilo tudo. Este tipo de pensamento é aprendido, muitas vezes existe uma mãe, um pai, uma avó com o mesmo tipo de linguagem vitimista.

Diálogo de Perfecionista
“ Correu bem, mas podia ser melhor,…”.
Existem pessoas que esperam sempre um pouco mais, querem fazer sempre melhor, ganhar mais, conseguir mais. 
Qual o problema disto?
Ao não permitirem sentir que foram muito boas numa determinada coisa, vivem e convivem com a frustração, o que não permite que sejam felizes.

É muito importante, parar e observar o que dizemos a nós mesmos.
Estou-me a incentivar positivamente?
Estou a falar bem de mim a mim mesmo?

Eu tenho os 4 diálogos acima e mais alguns.
Esta manhã fiquei em casa a “faxinar” janelas e estores e os diálogos começaram a surgir, não sei se era um ou outro, mas sei que a emoção que traziam não era positiva.
Então…parei…respirei fundo e profundamente cinco vezes e fiz “Xô, xô, saiam da minha cabeça que eu não vos quero, e voltei ao trabalho.
Foram embora?
Iam e vinham, mas cada vez que chegavam, eu falava com eles e dizia “não vos quero em mim, se eu vos agarrar e observar-vos à luz da consciência, até me rio de vocês, por isso vão embora, não quero que me tragam preocupação”.
Coloquei música, aquela que eu sei que me eleva em vibrações mais altas (Snatam Kaur) e o cenário interno mudou completamente.

Ao mudar a maneira de pensar, mudamos a maneira de sentir… além disso a mente é como um guarda-chuva, se não se abre não serve para nada.



3 comentários:

  1. Muito bom, gracias:))

    ResponderEliminar
  2. Olá Zé!
    Fico feliz por gostares, muito obrigada pelo comentário.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  3. o diálogo interno sempre existe 2 pessoas falando...eu ..voce...quem é o eu e quem é o voce...Internamente a pessoa diz vc é muito sério...aí quem é muito sério...o eu..ou o vc...se falo assim...vc é muito sortudo estou me referindo a quem...a mim mesmo ou ao eu interno...desamarre esse nó...
    antonioltoledo@terra.com.br..

    ResponderEliminar