Mundo Higeia

Bem Vindo a este Mundo!

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Cientistas do Canadá descobriram como curar o Cancro

imagem retirada net
 Muitas vezes cruzamos com pessoas, que trazem a cabeça encoberta num lenço.  Automaticamente sabemos do que se trata, a pessoa não tem cabelo, porque tem cancro.
E o cancro faz cair o cabelo?
Não.
O que faz cair o cabelo é a agressividade da quimioterapia.
As pessoas autoconvencem-se, que é um mal para um bem maior.

Mas, com tanta pesquiza ainda não se encontrou outro ou outros fármacos que tivessem ação sobre o cancro?
É…parece que pesquizas existem e resultados também, o que falta talvez seja interesse na cura.

Cientistas da Universidade de Alberta, em Edmonton no Canadá, acreditam ter descoberto uma substancia simples e barata que atua em quase todos os tipos de cancro. A substancia química chama-se DICLOROACETATO DE SÓDIO (DCA).
A pesquiza foi liderada pelo cientista Evangelos Michelakis, que testou o DCA em células humanas cultivadas fora do corpo e descobriu que esta substância mata as células cancerosas sem destruir as saudáveis, o que acontece na quimioterapia. A experiencia foi repetida em ratos com tumores, nos quais o cancro diminui drasticamente em poucas semanas, após se ter usado o Dicloroacetato.
Este fármaco, já foi usado para problemas metabólicos.
A pesquiza feita confirmou o cancro como uma disfunção metabólica, e não uma mutação de células estranhas, que muitas vezes é explicado como uma questão genética.
Esta conclusão – o cancro é uma disfunção metabólica – confirma a interpretação da Naturopatia.
As mitocondrias desequilibradas das células cancerosas usam a fermentação da glicose para obterem energia para a sua sobrevivência. Esta fermentação ocorre quando a glicose se dá num ambiente anaeróbico celular, que pode ser criado por toxinas e um Ph baixo.
O Dicloroacetato restaura as mitocondrias nas células para faze-las funcionar adequadamente.
Outra função da mitocôndria normal é a apoptose, ou seja a autodestruição celular, células normais morrem e substituem-se constantemente. Mas nas células cancerosas o sinal de apoptose é anulado, tornando as células cancerosas como que “imortais”.
Este fármaco mostrou despertar a mitocôndria,e assim ela reativa o processo de autodestruição e leva as células cancerosas à morte.

Que mais queremos?
Queremos que a classe médica se questione, porque não chega até eles e até aos hospitais a ação pratica destas investigações?
Se a classe científica estuda, descobre e aponta um caminho para determinada cura, porque não coloca-la ao serviço da humanidade?

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A nossa única Arma é o Amor

“ Um dia, em 1965, era eu monge no Mosteiro de Truc Lam, em Saigão, o meu discípulo monástico Irmão Nhat Tri caminhava pelas ruas da cidade.
Um camião militar americano passou por ele e um soldado americano que ia a pé cuspiu-lhe na cabeça. O Irmão Nhat tri veio ter comigo a chorar, porque se sentia muito humilhado. Disse-lhe que, provavelmente, o soldado americano ouvira muita propaganda dizendo que os monges e monjas budistas eram comunistas disfarçados. Por isso, quando viu o Irmão, mostrou odio e cuspiu-lhe em cima.
O soldado americano era uma vítima de uma perceção errónea e da ignorância. “Irmão, não deves odia-lo. Se o odiares, significa que ainda não percebestes.”
 Em situações similares, muitos jovens renunciaram à prática da não-violência e juntaram-se à Frente de Libertação Nacional, pegando em armas para combater americanos.
Abracei demoradamente o irmão Nhat Tri e disse-lhe: “ meu filho, não nascemos para empunhar uma arma, nascemos para amar. O amor é a única arma que transportamos.” Estas palavras ajudaram-no a continuar o seu trabalho social.
O mundo está cheio de discriminação, violência e odio.
Se nos deixarmos apanhar por estas energias negativas, não conseguimos ajudar-nos uns aos outros nem ao nosso planeta. Em vez disso, devemos cultivar a liberdade, a sensatez e a compreensão. Não temos de ser monges ou monjas para praticarmos desta maneira. Só precisamos de boa vontade para abrir o coração à bondade que existe dentro de nós, a nossa natureza de Buda, o Espirito do Amor”. (1



(1) Extraído do livro Criar a verdadeira Paz de Thich Nhat Hanh

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A Nova Consciencia

Gostei deste documentário, gostei das respostas dadas.
Concordo com o que é dito, penso da mesma maneira… que somos muito mais que esta experiencia humana.

Neste documentário Oscoy responde e comenta:
Existem extraterrestres?
Quando começa a mudança de 2012?
Como se canaliza a Nova Consciência?
O que é Matrix? Sou de verdade um Ser livre? Estou Desperto?
O que é que o Ego tem a ver com a Matrix?
O que significa Despertar de Consciência?
Chegámos à Era do despertar?
E muito mais…

É falado em espanhol, mas percebe-se bem.

O que fazer…problemas de Saúde na Infância?

imagem retirada net
É necessário uma reflexão sobre os problemas de Saúde na infância e sobre a maneira como os encaramos e os superamos.
 Não podemos duvidar que o nosso presente é o resultado de ações passadas, e o que escolhemos hoje vai plantar a base do futuro.”

O artigo abaixo é de Isabel Rosas Alcántara, médica, especialista em Obstetrícia e Ginecologia, Master em medicina biológica e Antiaging.
Resolvi traduzir e publicar o texto, visto eu estar totalmente de acordo com esta médica, e porque acho que é urgente mudar o paradigma que se vive em relação à saúde infantil.

"Desejo que este artigo vos faça refletir sobre as diversas maneiras de abordar a Saúde e a doença, muito especialmente as doenças nas crianças.
Vivemos tempos de grandes mudanças sociais, por tanto difíceis, mas também apaixonantes, por isso temos de aceitar “fluir”, soltar velhas crenças e abrir a mente a outras possibilidades.Também, porque não romper com nossas resistências e fazer frente aos nossos medos, sobretudo a questionarmos as verdades absolutas e a buscar alternativas diferentes aos problemas de sempre, isto para poder chegar a um destino diferente.
É hora de tomar parte ativa na resolução de nossos problemas e não esperar que sejam solucionados por alguém que nós supomos saber mais que nós.
 Busquemos informações alternativas, e questionemos aqueles que nos têm que responder, sejam chefes, expertos, governo e também médicos.
Porque a Saúde e o bem-estar físico, psíquico, emocional e espiritual é um direito ao qual nunca devemos renunciar. Ninguém tem mais obrigação e dever que nós de a preservar.
E com estas e outras reflexões, estamos no inverno, com dias frios, chuvas e neve, assim vou encontrando por todas as partes crianças e adultos com queixas das doenças típicas da época invernal.
A rotina é anual, com as super-vendas da época, são os antibióticos e os antipiréticos. Tenho de dizer que me cai a alma quando vejo crianças atoladas de antibióticos.
A verdade é que desde algum tempo, dentro da medicina oficial, são cada vez mais as vozes que se fazem ouvir em desacordo a uma excessiva medicamentação às crianças.
È muito comum, nas épocas mais frias, ver-se as crianças com doses de Augmentin (amoxicilina + ácido clavulânico) ou similar e o seu respetivo antipirético.
Para desespero dos pais e das crianças… este ritual de medicamentos não diminui com a chegada da primavera.
 Mas a pouco e pouco profissionais de saúde e pais vão compreendendo que a maioria destas doenças invernais são fruto de vírus, logo o antibiótico não vai fazer nada.
Existem muitos profissionais de saúde que se esqueceram qual era o verdadeiro significado da febre, da tosse, dos mucus ou da inflamação das amígdalas, etc. Estes, são sinais de que o corpo através do sistema imunitário está-se a defender e a imunizar contra vírus e micróbios que o rodeiam. Este processo tem que se produzir, se queremos um sistema imunológico forte e resistente, pois só assim se produzem os chamados anticorpos que são as defesas que construímos. Os cientistas estão a descobrir que vírus e bactérias estão longe de serem nossos inimigos, eles trabalham com nossos genes para a evolução da espécie, mas isto fica para outra altura.

Pois bem, o que fazemos normalmente quando nosso corpo está-se a defender sabiamente de uma agressão, é cortarmos os processos de cura do corpo, com antibióticos e antipiréticos e com estes anulamos a possibilidade de imunização, por isso as doenças se repetem e repetem e muitas vezes tornam-se cronicas.
Na realidade, a subida de temperatura é um sinal de que o corpo se está a defender bem, para que se possa inativar os vírus e as baterias por células encarregadas disso, assim precisa-se de uma temperatura de 38,5º.
Portanto a subida de temperatura não é doença, nem é má…indica-nos que o corpo se está a defender, e este processo dura um tempo, se o corpo é saudável…uns três dias. Durante este tempo, o que temos que fazer é dar atenção  se a temperatura dispara demasiado (acima dos 38,5º), e neste caso utilizar medidas físicas para que a febre baixe, como dar banho de agua a 37º, aplicar compressas de agua fria na testa e nos pulsos, estas são formas naturais, não perigosas de descer a febre, e o mais importante é que não impedem o trabalho dos leucócitos e dos linfócitos que são as células que nos defendem.

E o que dizer da tosse e da mucosidade (expetoração)?
Pois desta maneira o sistema respiratório se livra de germes e das substâncias produzidas para os isolar.
Significa isto, que temos de ficar cheios de expetoração e esgotados de tanto tossir? Pois claro que não, significa que temos de ajudar o corpo a auto-curar-se, e para isso temos o nosso sistema imune, senão para quê que o queríamos?
Temos é de colaborar de uma forma respeitosa com o processo, para que se possam produzir os anticorpos suficientes e isto podemos consegui-lo facilmente, se ficarmos recolhidos em casa uns dias a dormir, a descansar, a tomar banhos para descer a temperatura, a usar medicinas e ferramentas menos agressivas e com mais respeito pelos corpinhos de nossos filhos.
Existem magníficos xaropes e infusões de plantas, óleos essências para dar massagens, remédios homeopáticos, oligoelementos.
As crianças respondem muito bem a qualquer ajuda, pois ainda não possuem um historial e uma intoxicação de medicamentos. Sua resposta é mais rápida porque seu metabolismo é mais ativo.

Esta é uma terapia não agressiva e sem efeitos secundários.
 Ao mesmo tempo, como diz Angeles Hinojosa (criadora do método de reflexologia podal infantil), estimulamos a consciência das crianças, o conhecimento e ajudamos desde já eles a serem responsáveis pelo seu próprio corpo e pela sua cura.
Criamos assim, as bases corretas para uma boa saúde no futuro.


quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Um dia da minha Vida

Todos os dias (segunda a sexta), chego ao meu local de trabalho por volta das nove horas.
Ainda não vos disse o que fazia? Bem…trabalho numa empresa familiar de Caixilharia de alumínios, estores, toldos, etc…a minha função é atender clientes numa loja de exposição destes artigos.
Como tal tenho muito tempo livre para “viajar na net”, para estudar, pesquisar, escrever tudo aquilo que me interessar. Como devem estar a pensar, o trabalho que tenho nada tem a ver com as minhas “paixões”.
Não me formei eu em outras áreas do conhecimento?
Afinal com que finalidade? Não era meu objetivo trabalhar com a “cura” de pessoas? Ajuda-las no que pudesse?
Pois é…pois é…
Por enquanto está desta forma. Mas está muito bem.
Estou a encher… a encher… de conhecimento, e um dia destes, estou pronta a transbordar.

Uma das minhas rotinas diárias, é escolher uma música.
Oiço algumas, e aquela que no momento eu der mais atenção, é a escolhida.
Hoje é…Paz pela Paz.
Assim ecoa na minha mente como mantra – Paz.


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Ter Responsabilidade…sobre quê?

imagem retirada net
Sobre quê que você tem que ter responsabilidade?
Primeiramente e antes de qualquer outra, tem que ter responsabilidade pelo seu próprio estado de Consciência.
Porquê?
Porque, a sua Consciência determina o Mundo que você cria. Cria para si e para os outros e para toda a Humanidade.
 Você é a Humanidade.
Humanidade é um conceito abstrato que não existe, Humanidade é o Ser Humano.
Se o estado de Consciência da Humanidade for disfuncional ou doente produz um Mundo externo igual.
Por Mundo, quero dizer, o que é construído pelos humanos, aquilo que tem sido imposto sobre o Planeta, Este que  obviamente é um paraíso em potencial, Este Planeta uma joia rara, um Ser de inteligência grandiosa, do qual nós não estamos separados.
Este Ser está passando por um processo transicional, e todo o processo transicional é crítico e pode ou não funcionar, de qualquer maneira o Ser sempre busca uma maneira inteligente de evoluir.
Atravez da historia podemos concluir que existe uma disfunção da mente dos humanos que tem estado na Terra à milhares de anos, muitas vezes denominada por doenças mentais.

O que posso fazer?
Tudo o que tem de fazer é tomar responsabilidade pela sua Consciência - Agora, e todo o ensinamento gira em torno disso.
Qual é o meu estado de consciência neste momento?
Estou a gerar perturbação?
Estou a criar negatividade?
Estou a criar conflito e sofrimento para mim e para os outros?
Estou a criar poluição interna?
Estou a poluir o ser bonito que sou com contínuos e absurdos movimentos de pensamento?
Estou a produzir emoções negativas e uma completa entidade ilusória chamada Eu?

Para ter responsabilidade você precisa estar num estado de Despertar, onde você pode dizer – tudo bem – vou tomar responsabilidade - Agora.
Algumas pessoas não sabem que existe a possibilidade desta responsabilidade, por isso você é tão importante, assim como qualquer um que descobre isto, pois é o início de um Mundo transformado.
 É Ser a mudança que quer ver no Mundo. E não é pelo que faz, é pelo que É.
Tudo o que você faz, tudo o que pensa, tudo o que sente vem do seu estado de Consciência, e esta pode ser mudada.
Mas… o que é mudança?
Mudança é o estado de Consciência transformado, e é esta a sua responsabilidade.
Existem pessoas que ainda não chegaram a este nível e não entendem, mas tudo bem, não precisamos que todo Mundo esteja nesse estado, é suficiente que você tome a responsabilidade sabendo que ainda existem alguns milhões que não sabem que podem ter esta responsabilidade, porque vivem em estado de inconsciência.
Enxergam o mal dos outros, transformam metade do mundo em seus inimigos, mas tudo está certo. Somente é requerido tomar responsabilidade aos que estão aptos a isso, porque existem outros que estão num estado de consciência adormecida, e não sabem o que estão a fazer.
Contudo o facto de não serem responsáveis por não saberem, não significa que não sofram as consequências de sua inconsciência.
Então é essa a sua responsabilidade…
Baseado em palavras de Eckhart Tolle

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Palavras de um Hopi

O conceito atual da alimentação para a humanidade é principalmente como satisfazer o apetite.
Muitas crianças nem sabem como se cultiva ou como crescem os alimentos.
As sê-mentes contêm em memória tudo o que precisam para o seu crescimento. Quando o grão é deitado à Terra começa uma iniciação – a conceção. A Mãe Terra é um útero. Na sê-mente está toda a criação, quando a comemos, estamos a unir-nos com a criação.
Em primeiro lugar temos de escutar a Natureza, pois ela se rege por Leis Universais, muito precisas.
Não devíamos de nos chamar de indivíduos. Individuo significa indivisível. Somos Uno, não estamos separados do exterior.
Nós somos os nossos médicos e especialistas, quando escutamos a natureza, o nosso interior, podemos saber o que é melhor para nós.
O alimento transforma-se no nosso sangue, o que nos leva a fazer muitas escolhas.
 Que tipo de identidade quero ter?
Ter um passaporte e viajar muito?
Ter cartão de crédito?
Ou simplesmente - EU SOU? Esta é a grande questão

Cultivar a Simplicidade

imagem retirada net
Abrandei o passo e parei para cheirar as rosas.
Parei de viver ao ritmo frenético a que habituara.
Parei de viver no centro de um tornado.
- O que fizeste para cultivar a Simplicidade?
- Parei de usar roupas  caras, libertei-me do meu vicio de comprar jornais todos os dias, parei de estar disponível para toda a gente a toda a hora, tornei-me vegetariano e comecei a comer menos. Basicamente reduzi as minhas necessidades.
Se não reduzires as tuas necessidades, nunca estarás satisfeito. Serás sempre como um jogador em Las Vegas, que fica agarrado à roda da roleta “só mais uma voltinha” na esperança que saia o número da sorte.
Quererás sempre mais do que tens.
Como pode alguém ser feliz assim?
O segredo é não deixar que a tua felicidade dependa de encontrares o pote de ouro ao fundo do arco iris.
- E como é que eu posso aplicar o Ritual da Simplicidade à minha vida? Aceitam-se sugestões.
-Há tantas coisas que podes fazer. Mesmo as mais pequenas fazem uma diferença enorme.
-Tais como?
-Pára de atender o telefone sempre que toca, pára de perder tempo a ler correspondência não solicitada, pára de comer fora três vezes por semana, desiste de ser socio do clube de golfe e passa mais tempo com os teus filhos, deixa o relógio em casa, vê o sol nascer, vende o teu telemóvel.
- Já percebi. Mas vender o telemóvel?- perguntei ansioso, sentindo-me como se sentirá um bebe ao ouvir o médico sugerir que se corte o cordão umbilical. – Isto vai mudar a minha vida?
- Sim como num piscar de olhos, no preciso momento em que decides, bem lá no fundo de ti. Nesse instante serás uma pessoa diferente, uma pessoa a caminho de conquistar o teu destino.
Com o cultivo da simplicidade terás mais energia, menos preocupações, mais criatividade e menos stress em todas as facetas da tua vida.

Baseado no conto “o monge que vendeu o seu Ferrari”

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Crianças Hiperativas

imagem retirada net
Existem muitas crianças com um diagnóstico de défice de atenção ou de hiperatividade.
 É um problema que bate à porta de muitos pais, pois como disse o pediatra e psiquiatra infantil Paulino Castells: “ qualquer criança que seja um pouco mais ativa, não se livra do comprimido (…) as escolas querem crianças uniformizadas que não deem muito trabalho. Os que são diferentes são um problema “.

As crianças não param quietas, os pais ficam desesperados, os educadores têm dificuldades em lidar com estas crianças, e procura-se um diagnóstico e uma solução rápida.
Vai-se no psicólogo, depois ao psiquiatra e espera-se que a medicação faça o milagre, a “cura” para aquilo que se chama de “doença”.
Mas será que todas estas crianças têm realmente transtornos neurológicos?
Será que não estamos a medicar “comportamentos”?
Não existe consenso médico, e muitos psiquiatras e investigadores estão a alertar para o uso indiscriminado destes medicamentos, pelos seus efeitos secundários.

O medicamento mais utilizado é o metifelnidato, que é comercializado como Ritalina.
Miguel Jara, jornalista de investigação disse: “ o metifelnidato, que se comercializa como Ritalina no défice de atenção e na hiperatividade em crianças é a “cocaína da infância” e existem numerosos estudos sobre os efeitos secundários: atraso no crescimento em tratamentos prolongados, anorexia, insónia, problemas cardiovasculares graves e complicação dos sintomas em pacientes psicóticos (…) ultrapassou-se o limiar da sobremedicação das crianças, e não tarda em comprovarmos os danos que ela trouxe.”

Consideramos a tristeza, a timidez, a culpa, a agressividade, a ira, o não ouvir os adultos como doenças, mas elas são emoções da raça humana.
Lembro-me de algum tempo atras, num programa de televisão, desses de entrevistas que dão à tarde, uma mãe ir pedir ajuda para o seu filho.
Perante a audiência, e as camaras ela contou que o seu filho era hiperativo, que gritava, não parava quieto, tinha atitudes agressivas com a professora, etc.
Ao lado dela estava a criança, sentada, olhava o chão e por vezes levantava a cabeça, ouvia tudo o que a mãe e o psicólogo diziam.
Perguntei-me, se alguém estava a pensar naquela criança?
O papel dela era bem duro.
 A mãe é a pessoa que mais tem que proteger a criança, e esta tem de o sentir. Naquele momento ela estava a ser acusada, perante Portugal.
Como vai ela enfrentar a escola, as pessoas no dia seguinte?

Entendo que falar é fácil, difícil é ouvir queixas dos professores, ver a instabilidade do filho, e não saber o que fazer.
Existem estudos que mostram que uma alimentação abundante em fruta, vegetais, e uma diminuição da comida fast food, do açúcar, dos refrigerantes, etc., oferece melhorias.

Já pensaram, se o famoso Tom Sawyer também precisava de Ritalina?

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Você é Saudável?

imagem retirada net
Fomos e continuamos a ser condicionados a procurar sinais de doença.
Mas, e se em vez disso procurássemos os sinais de Saúde?

O Higienismo enfatiza a importância de descobrir a saúde dentro de cada um de nós.
È importante perceber que a ausência de doença não significa necessariamente Saúde e Vitalidade. Muitos se consideram saudáveis porque não tem sintomas, sinais visíveis, como dores, resfriados, ou outras doenças diagnosticadas, e apresentam valores de análises dentro da norma estabelecida.
Mas, será que significa um bom saldo de saúde?

Tive um vizinho com sessenta e tal anos, que nunca estava doente, nunca se resfriava, nem tinha tosse, nunca se ouvia queixar, e as suas análises estavam sempre dentro da normalidade, com valores perfeitos, umas que me lembro de ter visto, apresentava o valor do colesterol total a 177. Um dia almoçou e vomitou, o que nunca acontecia, foi fazer uma endoscopia, e o resultado foi cancro no estomago. Rapidamente foi operado, veio para casa, mas não durou mais do que 1mês e desencarnou. Era considerado pela mulher, esta sempre com colesterol alto, e por outras pessoas como o Senhor Saúde, mas parece que não era bem assim.

Sinais e sintomas que são indicativos de estarmos saudáveis, tanto mentalmente, como espiritualmente ou fisicamente.
Um dos primeiros sinais de saúde é constante sensação de bem-estar, na presença de uma energia transbordante do começo ao fim do dia.
Com que rapidez você se cura?
Cicatriza rápido?
 Você nota que se cura mais rápido que as outras pessoas? Após um resfriado, uma dor, uma ferida, um entorse, você sente que o seu corpo resolve o problema com facilidade?
Quanto mais rápido a recuperação, mais saudável você está.
Como é o seu acordar?
Depois de uma boa noite de sono, acorda com disposição à vida? Ao movimento? Ou fica se virando na cama, com sensação de cabeça pesada, não apetecendo levantar?
Quando se olha no espelho, como é a sua postura? É ereta? Tem um sorriso nos lábios? Seus olhos brilham?
Você consegue realizar todo o trabalho diário, sem se sentir desconfortável?
È flexível? Chega com facilidade com as mãos aos pés sem dobrar os joelhos? A flexibilidade é um bom sinal de saúde.
 Se as suas articulações, músculos, tendões e ligamentos forem maleáveis ou flexíveis, pode contar com um bom saldo de saúde.
Se tiver que correr, por exemplo para apanhar o autocarro, ou por qualquer outra razão, fica muito cansado? Sem folego? Ou falo como uma situação normal?
Vê bem? Ouve bem? E o cheiro? Se você conseguir ler umas letras num papel, e logo de seguida olhar para uma placa longe e conseguir também lê-la, é indicativo de boa saúde.
Olhe o seu corpo, agarre a sua carne, é firme ou é flácida? Tecido saudável é tecido firme, a flacidez não é muito boa.
Como é o seu adormecer? Dorme assim que toca almofada? Não? A capacidade de relaxar e adormecer facilmente à noite é um bom indicativo, tanto nas crianças como nos adultos.

Outros sinais que podem ser interpretados como indicadores de mais ou menos saúde, são os sinais mentais, ou seja as nossas atitudes e reações perante a Vida.
Quando alguém fere os seus sentimentos, você se sente abandonado, rejeitado, com que rapidez recupera desta emoção negativa? Sabe que a mesma rapidez com que curamos uma lesão no campo emocional é semelhante à cura no físico?
Você ama?
Você se ama?
 Aceita-se com os seus defeitos e virtudes?
Diz-se que todo aquele que á saudável aceita a verdade retratada, não vive em conflito permanente.
Por ultimo, você é feliz? A felicidade interna é um bom barómetro de saúde.
 Pense nisto…e…tire as suas próprias conclusões



quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Viver numa casa de Hobbit

Gostam? Não é um amor?


 Não são imagens de filme, nem de desenho animado, é uma casa real, onde vivem pessoas reias.
Esta casa faz parte de uma filosofia de vida chamada de permacultura.
Significa viver em harmonia com o Mundo Natural e connosco, é conseguirmos fazer as coisas com sensatez e com os níveis necessários de tecnologia. Este tipo de casa natural tem um custo baixo, proporciona às pessoas o acesso à Terra e a oportunidade de se levar uma vida mais simples e mais sustentável.” Simon Dale



Esta casa existe no Pais de Gales, construída pelos próprios e familiares num prazo de 4 meses.
Tem a vantagem de ser arquitetada pela própria pessoa, que cria o seu próprio espaço. Toda a construção é feita com matérias naturais.

Tenho consciência que estas casas não servem para todo as pessoas e nem em todos os locais são permitidos faze-las, as burocracias são muitas, até para se viver de forma simples.
Mas, se pretenderem continuar a sonhar, podem ver mais aqui:


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Existem pessoas más?

imagem retirada net
Tu és má”, esta expressão sai muitas vezes da boca de crianças.
Na maioria das vezes tem a ver com um querer que não foi satisfeito, ou seja a pessoa criou mal-estar na criança.
 Mas, também acontecem episódeos onde existe maldade, onde as atitudes têm o intuito de ferir de “fazer mal”.

Então…existem pessoas más?
Não creio.
Existem pessoas com falta de responsabilidade sobre os seus atos, pessoas que vivem o egoísmo de diversas formas: tem inveja, reclamam atenção extrema, invadem e utilizam os outros, são agressivas, fazem-se de vítimas,…etc.

Mas, porque são assim?
 Para mim, elas vivem na ausência delas próprias.
Suas atitudes não são mais que pedidos de socorro, vivem numa frequência tão baixa, que seus atos só podem ser estes.
A causa está no medo e na insegurança que sentem.

Como dizia William Maugham: O sucesso torna as pessoas modestas, amigáveis e tolerantes, é o fracasso que as faz ásperas e ruins.”

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Higienismo

O que é Higienismo?
A palavra tem sua origem em Higeia, a deusa grega da Saúde.
O Higienismo não é considerado uma medicina complementar ou integrativa, é uma forma de Viver a Vida, defende a Saúde em todas as suas facetas, ou seja equilibra o físico, o mental, o emocional e o espiritual.
Baseia- se numa Vida Natural, numa nutrição adequada, a fim de conservar a Saúde. Esta doutrina defende que “Ter Saúde” é algo normal e Natural, e somos nós, cada um de nós encarregados de a conservar.

O que são as doenças?
São desequilíbrios provocados pela violação das Leis da Natureza. Os sintomas dessas doenças são esforços do organismo para se recuperar e purificar, para voltar ao equilíbrio.

Como nos curamos?
Primeiro não continuar “com as causas” que provocaram o desequilíbrio, depois permitir que o corpo se cure.
Para o Higienismo, a melhor forma de recuperação se dá atravez do descanso do aparelho digestivo ou seja – jejuando.
Acredita-se que é a melhor forma do organismo recuperar, é dar descanso, agua, ar e sol, junto com um repouso mental e emocional.
É crucial para manter uma boa Saúde, descartar a sobrealimentação, o trabalho excessivo, o consumo de suplementos vitamínicos artificiais, comida desvitalizada e processada, exagero de alimentos cozinhados e qualquer produto que não pertença a uma dieta Natural.
O Higienismo recomenda o jejum como forma de recuperação da “doença”, em lugar de medicamentos, tratamentos ou “curas”. O organismo tem a capacidade de curar-se internamente, sem que tenha de induzir a cura do exterior.
São nossos excessos ou carências que provocam as doenças, logo o organismo quando equilibrado nestes tende a “curar-se”.
O jejum rejuvenesce o corpo e aporta mais força e mais saúde, ao mesmo tempo que aumenta a longevidade, e isto é comprovado cientificamente. (falarei noutro poste).

Por hoje fico por aqui, mas a conversa do Higienismo... a volta à essência do Natural vai continuar…está no meu coração.

Quem Somos Nós?

É importante perceber “quem somos nós?”.
A vida corre bem, achamos que somos sortudos, mas quando a vida corre mal sentimo-nos vítimas das circunstâncias.
Será que não somos nós a grande força criativa de tudo o que nos acontece?
Este filme levanta o véu de muitas questões…











Vacinar… ou Não Vacinar?

A maioria das pessoas vacinam-se, vacinam seus filhos e pensam que assim o é com todas as pessoas.
No outro dia a minha filha (16 anos) questionou os seus colegas de escola por causa das vacinas, se tinham levado a vacina “colo do útero”?
Resposta:
Claro, se não ía ter cancro” “as vacinas evitam as doenças”.
Estas respostas indicam uma sociedade automatizada, uma sociedade que não coloca a dúvida.
Não estou a influenciar a “Não vacinação”, só quero informar que existem pessoas que não são vacinadas, e não é por falta de conhecimento, e existem médicos, entre eles pediatras contra a vacinação, ou contra o excesso dela.

No próximo dia 17 de janeiro, na casa da Cultura de Girona em Espanha, vai haver um encontro entre diversas pessoas, que defendem “ O direito a não Vacinar”.
Vão participar, a pediatra Lua Català, Ramon Llorente, Françoise Joet e o Dr. Xavier Uriarte, que é presidente da Liga pela liberdade da vacinação.

Giorgio Tremante, fundou uma organização nos anos setenta para lutar pela liberdade da vacinação, após a morte de seu filho de seis anos. Acredita que esta tragedia se deu devido ás vacinas.
Tremante afirma” que a indústria farmacêutica tem criado um mito, apoiado no terrorismo mediático, que informa que as vacinas são totalmente seguras, mas isto é falso. Os exageros das vacinações são responsáveis por muitas doenças degenerativas, como por exemplo o autismo.”


Quem estiver interessado em saber mais, carregue aquí, e veja a palestra da pediatra Lua Catala, onde explica suas conclusões depois de 25 anos a trabalhar em pediatría.

domingo, 15 de janeiro de 2012

sábado, 14 de janeiro de 2012

A Ultima…das Sete Leis Espirituais

Lei de Sábado
imagem retirada net

Lei do Dharma
Dharma é um termo sânscrito que significa finalidade da vida.
A lei do Dharma diz-nos que nos manifestamos sob forma física para cumprir uma finalidade.
Segundo esta Lei, todos temos um talento específico e uma forma singular de o exprimirmos. Há qualquer coisa que conseguimos fazer melhor do que qualquer pessoa do mundo.

Se ensinássemos isto ás crianças pequenas, veríamos o efeito que teria na vida delas. Na verdade fiz a experiencia com os meus filhos. Repeti-lhes muitas e muitas vezes que havia uma razão para cada um de nós estar neste mundo e que eles teriam de descobrir a razão porque exitiam. Eles começaram a ouvir isto desde os quatro anos. Também os ensinei a meditar a partir dessa idade e disse-lhes: “ nunca, mas nunca se preocupem em ganhar a vossa vida. Se não forem capazes de ganhar a vossa vida quando crescerem, eu hei-de de sustenta-vos, portanto não se preocupem com isso. Não quero que se esforcem para obter bons resultados na escola. Não quero que se esforcem por obter as melhores notas ou por ir para os melhores colégios. Aquilo que eu quero é que se interroguem acerca de como podem servir a humanidade e quais serão os vossos talentos especiais. Porque cada um de vós possui um talento especial, que ninguém mais possui e cada um de vós tem uma maneira especial de exprimir esse talento, que também ninguém mais possui."
 Eles acabaram por vir a frequentar as melhores escolas, obtiveram as melhores notas, e mesmo na universidade são estudantes especiais, porque já são economicamente independentes, pois a vida deles focaliza-se naquilo que devem dar para cumprir a razão da sua existência aqui. E esta é a Lei do Dharma.

 A Lei do Dharma tem três componentes.
O primeiro diz-nos que cada um de nós se encontra aqui para descobrir o seu verdadeiro Eu, para descobrir por si próprio que o seu verdadeiro Eu é Espiritual, que na Essência somos Seres espirituais manifestando-se na forma física.
Cada um de nós encontra-se aqui para descobrir o seu Eu superior, ou o seu Eu espiritual. Temos de descobrir por nós mesmos o deus ou a deusa em embrião que existe dentro de nós e deseja revelar-se, para podermos exprimir a nossa divindade.

O segundo componente consiste em exprimirmos os nossos talentos especiais. Todos temos um talento, cuja expressão é de tal modo singular, que não existe mais ninguém vivo no planeta que possua esse talento ou essa forma de exprimir. Isto significa que há uma coisa específica que cada um de nós sabe fazer melhor do que qualquer outra pessoa no mundo. Quando está a fazer isso perde a noção do tempo.

O terceiro componente da lei do dharma consiste na vontade de servir a Humanidade – servir os outros seres humanos e perguntar “como posso ajudar? Como posso ajudar aqueles que me rodeiam?

O que posso eu Obter? É diálogo interno do ego.
Como posso eu ajudar? É diálogo interior da alma.
Quando mudamos de uma para a outra passamos do plano do nosso ego para o domínio da alma.

 Se quiser aproveitar ao máximo a lei do Dharma, terá que se comprometer a seguir algumas regras.
A primeira regra é: vou tentar descobrir o meu eu superior, que se encontra para além do meu ego, atreves da prática espiritual.

A segunda regra é: vou descobrir os meus talentos especiais, vou entrar em estado de felicidade, pois o processo de felicidade ocorre quando adquiro conhecimento do eterno. Nesse momento entro em estado de beatitude.

A terceira regra é: vou perguntar a mim mesmo quais as aminhas melhores qualidades para servir a humanidade. Vou responder a essa pergunta e depois vou por em prática a atitude. Vou utilizar os meus talentos especiais para servir as necessidades dos outros seres humanos – vou combinar essas necessidades com o meu desejo de ajudar a servir os outros.

Sente-se e faça uma lista das respostas a estas duas perguntas: pergunte a si mesmo se o dinheiro não fosse uma preocupação para si e se tivesse todo o tempo e dinheiro do mundo, o que faria? Se pensa que continuaria a fazer aquilo que faz no momento, isso significa que se encontra em Dharma, porque tem uma paixão por aquilo que faz – exprime os seus talentos especiais. Depois pergunte a si mesmo: quais as minhas melhores qualidades para servir a Humanidade? Responda à pergunta e ponha a atitude em prática.

 Descubra a sua divindade, encontre o seu talento especial, utilize-o para servir a humanidade e gerará toda a riqueza que quiser. Quando as suas expressões criativas responderem às necessidades dos outros seres humanos, a riqueza fluirá espontaneamente do não-manifesto para o manifesto, do âmbito da alma para o âmbito da forma. Começará a experimentar a vida como uma miraculosa expressão da divindade – não ocasionalmente, mas sempre. E conhecerá a verdadeira felicidade e o verdadeiro significado do sucesso – o êxtase e a exultação da sua própria alma.

COMO APLICAR A LEI DO DHARMA
1)    Hoje vou dar atenção ao deus ou deusa em embrião que se oculta no mais fundo da minha alma. Darei toda a tenção à minha alma interior que dá vida ao meu corpo e ao meu espirito. Vou tentar despertar para a profunda serenidade que existe dentro do meu coração. A consciência eterna e do Ser eterno acampar-me-á sempre durante a minha experiencia temporal.

2)    Faço uma lista dos meus talentos especiais. Depois faço uma lista de todas as coisas de que gosto de fazer quando exprimo os meus talentos especiais. Exprimindo os meus talentos especiais e utilizando-os ao serviço da humanidade, perco a noção do tempo e crio abundancia na minha vida, assim como na vida dos outros.

3)    Pergunto a mim mesmo todos os dias ”como posso eu servir?” e “Como posso eu ajudar?” As respostas a estas questões vão permitir-me ajudar e servir os outros seres humanos com amor.
Retirado do livro, as sete leis espirituais de Deepack Chopra

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

A Sexta…das Sete Leis Espirituais

Lei de Sexta-Feira
imagem retirada net
LEI DO DESPRENDIMENTO
A lei do desprendimento diz-nos que para adquirirmos qualquer coisa no universo físico temos que renunciar á nossa ligação a ela. Isto não significa que desistamos da intenção de criar o desejo.  Não devemos desistir da intenção, nem devemos desistir do desejo.Devemos desistir da nossa ligação ao resultado. Esta atitude é muito poderosa. No momento em que renunciamos á ligação ao resultado, combinando ao mesmo tempo intenção dirigida e desprendimento, teremos aquilo que desejamos. Tudo o que quisermos pode adquirir-se através do desprendimento, já que se baseia na fé inquestionável no poder do nosso verdadeiro Eu.
Por outro lado, a ligação ao resultado baseia-se no medo e na insegurança – e a necessidade de segurança baseia-se no facto de não conhecermos o nosso verdadeiro Eu.
 A fonte de riqueza, de abundancia ou de qualquer outra coisa do mundo físico encontra-se no Eu, é a consciência que sabe como realizar todas as necessidades. Tudo o mais constitui um símbolo: carros, casas, contas bancarias, roupas, aviões. Os símbolos são transitórios, vem e vão. Procurar obter estes símbolos é o mesmo que preferir o mapa ao território. Provoca ansiedade, acaba por nos fazer sentir ocos e vazios por dentro, porque estamos a trocar o nosso Eu, pelos símbolos do nosso Eu.
A ligação ao resultado significa consciência da pobreza, pois esta ligação prende-se sempre aos símbolos.
O desprendimento significa consciência da riqueza, pois ele traz-nos a liberdade de criar. Só com um envolvimento desprendido se pode obter alegria e prazer. Só assim obtemos os símbolos de riqueza, com espontaneidade e sem esforço. Sem o desprendimento tornamo-nos prisioneiros de necessidades mundanas desesperadas e impossíveis, preocupações triviais, desespero passivo e tristeza – marcas distintas de uma existência quotidiana medíocre e da consciência da pobreza.

A verdadeira consciência da riqueza consiste na capacidade para obtermos aquilo que queremos, quando quisermos, e com o mínimo de esforço. Para chegar a esta experiencia tem de se basear no conhecimento da incerteza. Na incerteza encontrará a liberdade para criar tudo o que quiser.
As pessoas estão sempre à procura de segurança, mas verá que a busca da segurança constitui uma coisa muito efémera. Mesmo a ligação ao dinheiro constitui um sinal de insegurança. Pode dizer: “ quando eu possuir X milhões de euros, estarei seguro. Serei economicamente independente e poderei reformar-me. Nessa altura, hei-de fazer tudo aquilo que de facto quero fazer.” Mas isso nunca acontece – nunca acontece.
Aqueles que procuram segurança perdem-na para sempre e nunca a encontram. É uma atitude ilusória e efémera, pois segurança nunca pode vir apenas do dinheiro. A ligação ao dinheiro gerará sempre insegurança, independentemente da quantidade de dinheiro que tivermos no banco. Na verdade, algumas pessoas mais inseguras são as que mais dinheiro têm.
O desejo de segurança constitui uma ilusão. Nas antigas tradições de sabedoria, a solução para todo este dilema encontra-se no conhecimento da insegurança, ou no conhecimento da incerteza. Isto significa que o desejo de segurança e certezas, na verdade, constitui uma ligação ao conhecido. E o que é o conhecido?
O conhecido é o nosso passado. O conhecido não é mais que a prisão do condicionamento do passado. Não há evolução aqui – absolutamente nenhuma. E quando não há evolução, surge a estagnação, a entropia, a desordem e a decadência.
A incerteza, por sua vez, constitui o solo fértil da criatividade e da liberdade pura. A incerteza significa entrar no desconhecido em cada momento da nossa existência.
Renuncie à sua ligação com o conhecido, entre no desconhecido e entrará no campo de todas as possibilidades.

A lei do desprendimento acelera todo o processo de evolução. Quando compreender esta lei, não se sentirá compelido a forçar soluções. Quando força soluções ou problemas, apenas cria novos problemas. Mas se aplicara a atenção na incerteza enquanto espera, atento, que a solução surja do caos e da confusão, aquilo que surgir será qualquer coisa fabulosa e muito estimulante.
Este estado de atenção – encontrar-se preparado no presente, no campo da incerteza- - liga-se ao seu objetivo e à sua intenção e permite-lhe aproveitar a oportunidade.

O que é a Oportunidade?
Encontra-se em cada problema que tiver na vida.
 O menor problema que tiver na vida constitui a semente para uma oportunidade de um benefício maior. Depois de ter percebido isso, abre um grande número de possibilidades.
Pode ver cada problema da sua vida como uma oportunidade para um benefício maior. Pode manter-se atento ás oportunidades baseando-se no conhecimento da incerteza. Se estiver preparado e a oportunidade surgir, a solução aparecerá espontaneamente.
Aquilo que daqui advém designa-se muitas vezes como “boa sorte”.
A boa sorte consiste apenas no encontro entre a oportunidade e a pessoa que se encontra preparada para ela. Quando as duas se juntam com a observação atenta do caos, surge uma solução, que constituirá um benefício evolucionário para a pessoa e para todos aqueles que a rodeiam. Esta constitui a receita perfeita para o sucesso e baseia-se na Lei do Desprendimento.

COMO APLICAR A LEI DO DESPRENDIMENTO
1)    Hoje vou praticar o desprendimento.
      Darei a mim próprio e aos que me rodeiam a liberdade de sermos como somos. Não imporei ideias rígidas sobre como as coisas deviam ser. Não forçarei soluções para os problemas, pois isso criaria novos problemas. Participarei em tudo com um envolvimento desprendido.

2)    Hoje interiorizo a incerteza como um ingrediente essencial da minha experiencia. A minha boa vontade para aceitar a incerteza fará com que as soluções surjam, espontâneas, dos problemas, da confusão, da desordem e do caos. Quanto mais incertas as coisas parecem, mais seguro me sentirei, porque a incerteza constitui o meu caminho para a liberdade. Através do conhecimento da incerteza, encontrarei a minha segurança.

3)    Entro no campo de todas as possibilidades e antecipo a emoção que pode ocorrer se eu me mantiver aberto a uma infinidade de escolhas. Ao entrar no campo de todas as possibilidades, experimento toda a alegria, aventura, magia e mistério da vida.

Retirado do livro - as sete leis espirituais de Deepack Chopra