Mundo Higeia

Bem Vindo a este Mundo!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Meu desejo para 2012

Gosto de escrever os meus desejos.
Faço bloquinhos, tenho cadernos enfeitados, tudo para me incentivar a escrever, a focar-me naquilo que quero.
Já sabem que o meu grande e eterno desejo é a Saúde, pois ela para mim representa o meu bem-estar a todos os níveis. Com ela eu posso tudo, eu faço tudo, supero tudo.
Também desejo, como toda a gente, ter trabalho, fazer bons negócios, etc.
Então, nestes últimos anos, a lista tem sido imensa, com indicações do tipo, quantas vezes durante o dia tenho de respirar fundo, quantos minutos tenho de caminhar, etc.
Mas, para 2012 a minha carta dos desejos tem unicamente duas anotações:
OBRIGADO – TUDO foi necessário
Desejo ter AMOR INCONDICIONAL

Pergunto, se você que está a ler me entende?
Quero que acredite que não estou somente a usar palavras bonitas, é sincero, é a minha grande necessidade.
Porquê?
Porque se eu vibrar nesta frequência de Amor sempre, eu Sou tudo o que quero.
Se eu amar incondicionalmente, você pode-me agredir, como eu o amo vou-lhe perdoar, e essa agressão não me vai afectar.
Se eu amar incondicionalmente, cada momento é sagrado e uma eternidade. O que há  melhor? É sentir com intensidade as sensações, onde as cores ficam mais vivas, onde tudo é belo e tem valor, é quase viver o paraíso.
Se eu me amar incondicionalmente, não me vou agredir com alimentação impropria, não vou fazer nada contra meu corpo. Imagina o que isso é?
É respeito pelo universo interno, para mim o início do despertar.

A lista podia continuar, as justificações para o meu desejo não tem fim.
Se vou conseguir realizar o meu desejo, viver desta forma?
Respondo-vos com uma frase do Hino da criação do Rig Veda:
No princípio era o desejo, que constituía a primeira semente do espirito; os sábios meditando do fundo do coração, descobriram com o seu conhecimento, a ligação entre o existente e o não existente”
É meu desejo, mas não estou ligada ao resultado, não me exijo perfeição, antes um caminhar passo a passo onde mantenho aberta uma infinidade de possibilidades…

Para o nosso planeta, para a nossa Mãe terra, eu junto-me ao sonho e ao desejo de John Lennon…quero ser uma sonhadora, mas não quero ser a única, tenho certeza que este sonho é comum...e, eu imagino quando o Mundo Viverá como um Só.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Se Eu…e…Você quiséssemos…

Me emocionei ao ver este pequeno filme.
Pensei…como seria o Mundo se todos agíssemos assim?
Todos…talvez noutra Era…mas Agora, se Eu agisse igual aquele homem?
E você? Se você pensasse igual a ele?

Não sabem do que estou a falar?

Vejam o vídeo…ele pode mudar o seu dia.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

SOU…SOY

É uma musica espanhola, que que eu amo.
A letra é linda, reflecte as minhas crenças…



Eu não concordo, eu não me importo, eu acredito
Que não existem absolutos
Na tua mão eu sou grande e sou pequena
Eu não quero, se tu não queres,
Não há deveres,
Há amor e há sonhos
Não estás vivo, se apenas tens obrigações
Não faço caso dos que me atacam
Eles não têm calma
E não faço mais do que disfrutar aquilo que dou
E, eu gosto muito, muito do que Sou

E, eu sou parte de ti
Parte do mar, parte do manancial
Parte do bem, parte do mal
Parte de tudo o que há…

Eu não espero, eu não suporto, eu avanço
Até onde ninguém chegou
Nem o medo, nem o desamor me detêm.
Se tropeçar, não vou rir
Eu confio, mesmo que as vezes me arrependa
Sorrir é uma luz que me alimenta
Estremeço, se me abraças
Cada amigo é uma casa
Com janelas para ver onde estou
E eu gosto muito, muito de quem sou…

E, eu sou parte de ti
Parte do mar, parte do manancial
Parte do bem, parte do mal
Parte de tudo o que há…

Cultivar a Mente como um Jardim

imagem retirada da net
Vejamos a Mente como um jardim.
Com a aprendizagem da vida, percebi que se nutrisse e cultivasse a mente como um jardim, ela iria florescer muito além das minhas expectativas.
Percebi que as ervas daninhas, como as preocupações, as ansiedades, as inquietações com o passado ou com o futuro, retiram a paz de espirito e criam o caos interior.
Então o que fazer?
É muito importante, guardar os portões da mente, e só deixar entrar as coisas boas.
Não, não podemos permitir ter um só pensamento negativo, absolutamente nenhum, se ele ficar ganhará raízes e pode invadir o jardim-mente.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Dá um Abraço

Em 2001, Jason perdeu sua mãe e o dia começou com muita tristeza, mas terminou em grande alegria, porque percebeu que sua mãe tinha feito o que Deus solicitou dela - ela adorava abraçar as pessoas.
Então Jason quis dar continuidade à missão da mãe e saiu pelas ruas da praia ao sul de Miami com um cartaz escrito FREE HUGS, ou seja ABRAÇOS GRATIS.
Esta campanha foi aceite e está a ser vivida por muitas pessoas em muitas cidades do Mundo, inclusive Lisboa.

O que acham disto?

Eu amei a ideia, sou um pouco tímida para ir para as ruas, mas prometi abraçar a maior parte das pessoas que comprimento, além do sorriso ou do beijinho, vou abraçar.


Vejam estes abraços dados em Itália…lindo

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O Fim...

Tudo tem um fim.

Mas…qualquer fim…qualquer princípio… é um extremo, como tal é doloroso.
Na escrita, temos as virgulas, os pontos finais e os pontos finais parágrafos.
E, Na Vida?
Será que paramos para colocar uma vírgula? Um ponto final?
 Há muitos anos, Fernando Pessoa pensou nisto e incentivou os pontos finais ...parágrafos…

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

O que representa o Inverno?

Tudo é Mudança.
A energia da Fonte, se manifesta nos ciclos de mudança da Natureza.
Tudo passa de um estado de vazio a um estado de cheio, e só volta a encher porque voltou a esvaziar, num movimento circular sem fim e sem começo.
Hoje chegou (hemisfério norte) a fase mais Yin, mais fria – o Inverno.
Mas o que significa o Inverno?
O tempo da recolha e da conservação.
No exterior, há o frio, por isso é a estação da hibernação, e é tanto para os ursos, como para nós, é a estação de olhar ”para dentro”, de viver com o que se tem.
A época de deitar cedo e levantar tarde.
O rei Salomão disse que “há tempo para tudo debaixo do sol”, mas a Natureza também o diz, e o Inverno é o tempo do descanso, da quietude, quando a energia tem de ser poupada, recolhida, condensada, conservada e armazenada.
No Taoismo o inverno está associado ao movimento Agua.
E, Agua significa Vida, um elemento de grande potencial, à espera de ser liberado.
Água é a essência da terra, assim como do nosso corpo.
A energia da vida surge do elemento agua.
Arvores, sementes, animais e pessoas têm de poupar esta “água”, tem de conservar esta energia até que possam saudar a Primavera, que é a estação do crescimento e da renovação.
Como posso conservar a minha energia, poupando a “água”?
Vejamos que, na natureza a água evapora com o excesso de calor, em nós, pessoas a energia da “água” dispersa pelo excesso de stress ou de emoções fortes, logo a forma de conservar a “água da vida” é através da quietude e do repouso, ou seja num estado emocional de “frio”.
E para ter-mos a cabeça fria, os pés tem de estar aquecidos.
Bom Inverno para todos

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Mais além da Luz

É um filme mexicano, o seu nome em espanhol é Más Allá de la Luz, baseado em factos reais correspondentes à vida de um homem – René Mey.
 Mostra que o Ser humano tem capacidades adormecidas, com as quais podia transformar a nossa Sociedade.
René Mey é francês, possui capacidades de vidência e cura, as quais foram adquiridas através de uma meditação contínua de oito anos sem comer, sem dormir e sem beber. Dedica sua vida ao trabalho voluntario.
É um filme muito bom, falado em espanhol.

Caso pretenda saber mais sobre René Mey (clique sobre o nome)


Engula a saliva


A saliva é o fluido da boca.
Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, a saliva é produzida e transformada através do Qi (energia) do Rim.
Se a saliva não for cuspida da boca, mas em vez disso for engolida, nutre a Essência e o Qi do Rim. Por isso a essência e o Qi do Rim são facilmente enfraquecidos pelo cuspir excessivo, por isso se diz que o antigo praticante de Qi gong levantava a ponta da língua contra o palato até a boca ficar cheia de saliva, e depois engolia para nutrir a essência do Rim.

A essência do Rim é das mais importantes, esta energia nutre todas as outras, a quantidade dela está relacionada com o tempo de vida, dai a tradição chinesa ter procurado desde de sempre formas de a tonificar e aumentar.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O Corpo Sofredor

Ainda vejo televisão, os “telejornais”, leio as letras gordas das notícias e às vezes não resisto, e oiço o Marcelo Rebelo de Sousa.
Que alivio…confessei-me.
Para mim o que digo fazer acima é pecado, porque vai contra o meu Eu, contra a minha sanidade mental, sei que me faz mal, que promove em mim a pré-ocupação e o medo do futuro. Estes sentimentos geram stress que por sua vez cria a infelicidade e a desarmonia interna.
Por isso, persisto em ver e ouvir Eckhart Tolle nos seus conselhos, porque é por aqui que Eu quero caminhar.
Quem quiser venha comigo…

Fortaleça a Memoria com Alecrim

Ultimamente tenho ouvido pessoas queixarem-se de falhas  de memória.
“Esqueci-me disto… “
“Não me lembro do que vinha fazer…”
“A minha cabeça anda tão mal…”
“O meu filho não decora nada…”
“Dantes via uma coisa e fixava…agora já não…”

Todos os nossos desequilíbrios surgem por uma causa, mas podemos sempre fazer qualquer coisa para melhorar.
A minha dica para a memória tanto de crianças como de idosos é beber chá de Alecrim.
É um arbusto que abunda por Portugal, quase todos os jardins o tem.
É um chá de sabor característico, que eu gosto de aromatizar com casca de laranja ou de limão.
Experimente, você vai sentir a sua energia tonificada, porque o Alecrim é um tónico do Yang, por isso Não tome se tiver Tensão Alta.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Quanto vamos viver?

Foi publicado no New York Times a história de Li CHING YUN, o homem da foto acima.
E quem foi Li Ching ?
Foi um homem chinês que nasceu na região de Kaihslen, província chinesa de Szechwan.
Mas o que teve de diferente este Mestre Taoista?
A história diz que ele viveu 256 anos.
Será?
Bem, o Professor Wu Chung-chiem, chefe do departamento de Educação da Universidade Minkuo diz ter encontrado registos mostrando que ele tinha nascido em 1677 e faleceu em 1933. Foi congratulado no seu aniversário de 150 anos e no de 200 anos.
Fontes dizem que ele foi mestre taoista, Herbalista e praticante de Chi Kung, assim como professor de artes marciais.
Enterrou 23 esposas e teve 180 descendentes.
Não se conhece muito sobre a sua infância e juventude, mas sabe-se que nasceu e morreu na mesma província, que foi alfabetizado até aos 10 anos e que viajou nas redondezas da china para colectar ervas.

A foto acima é a mais conhecida de Li, datada de 1927 tirada na sua visita ao amigo  general Yang Sem, na província de Sichuan. Yang Sem estava muito interessado no segredo de Li, já que este, apesar da extrema idade, aparentava juventude e vigor.
A foto mostra Li na idade de 250 anos.

Qual era o segredo de Li?
Parece que esta pergunta foi lhe feita, à qual ele respondeu:
Manter o coração calmo
Sentar como uma tartaruga
Andar vigorosamente como um pombo
E dormir como um cão.

Em 1920 foi-lhe feita uma entrevista e publicada nos anos de 1950 na revista Domestic and Foreign Magazine:
Li disse: “ penso que a razão pela qual eu vivi tanto tempo e ainda estou perpetuamente saudável é porque nada me irrita desde os meus 40 anos. Por isso meu coração é calmo, sempre saudável e feliz.
Além disso, Li ingeria diariamente na sua dieta três ervas: Ginseng, Fruta Goji e Centelha asiática.
Alguns dizem que sua dieta era estritamente vegetariana, consumindo predominantemente plantas e frutas sivestres. Diz-se também que há evidência de que comia peixe com regularidade e ocasionalmente carne (duas vezes por não). Outras fontes defendem que sua dieta era fundamentalmente arroz e do vinho feito desse cereal. Todas as fontes apoiam que consumia Ginseng, pensa-se que em forma de chá.
As bagas Goji eram comidas cruas, assim como a Gotu Kola, que era ingerida em salada ou em chá.

Segundo relatos do mestre Tai Chi Chuan Da Liu, que foi discípulo de Li, o nosso longevo conheceu um eremita muito velho que vivia numa montanha. Foi esse ancião que lhe deu recomendações sobre alimentação e o uso de ervas medicinais, assim como lhe ensinou praticas de respiração e movimentos coordenados com sons (Chi Kung).
Este eremita, (segundo uma entrevista de Li datada de 1920), diz não aparentar ser um homem “sobrenatural”, mas o velho conseguia dar passos enormes, como se voasse no ar. Por mais que Li tentasse, não conseguia acompanhar o ancião. Por isso pediu a ele que lhe ensinasse seus segredos.
Segundo o relato de Li, a única coisa que o eremita fez foi lhe entregar algumas frutas silvestres ( as gojis) e lhe disse que era  a única coisa que comia. A partir de então, Li passou a comer 15 gramas de gojis todos os dias e por causa disso se tornou saudável e ágil. Segundo ele a dieta possibilitava que andasse 50 Km sem que se cansasse.

Tirem as vossas conclusões…

O Céu e o Inferno

imagem retirada net
Naquele tempo, diz uma lenda chinesa, um discípulo perguntou ao Mestre, que também era Vidente:
- Mestre, qual é a diferença entre o Céu e o Inferno?
E o Mestre respondeu:
- È uma diferença muito pequena, mas mesmo assim de grande importância.
No Inferno, eu vi um grande monte de arroz cozido, e em seu redor havia muitos homens famintos, cheios de fome, aponto de quase morrerem, mas não podiam comer o arroz, pois suas mãos tinham palitos de dois a três metros de cumprimento. Conseguiam agarrar o arroz, mas não o levar à boca, pois os palitos eram demasiados longos.
Então era assim, homens juntos, mas solitários que permaneciam com fome eterna perante uma abundância infinita. Esta foi a minha visão de Inferno.
Depois vi, uma grande refeição de arroz. Ao redor muitos homens com fome, mas cheios de vitalidade. Eles não podiam se aproximar do arroz, porque tinham em suas mãos palitos de dois a três metros de cumprimento, o que não permitia levarem o arroz à boca. Não levavam à própria boca, mas ajudavam-se, levando à boca dos outros e assim se serviam todos. Desta forma acabaram com a fome insaciável numa grande comunidade fraterna, juntos, solidários, seguindo o Tao.
Isto, eu vi como Céu.
Autor desconhecido.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Porque não Mudamos?

São muitos os livros que se vendem, são muitos os blogues, os sites que se visitam para, “beber-mos” de palavras de Auto-Ajuda.
Assuntos de Consciência e do domínio da mente nos atraem.
Mas todos estes livros falam de um assunto em comum: A MUDANÇA
Qual?
Todos sabemos, o que temos que mudar.
Mas, os que decidem fazê-lo são muito poucos.
Nós lemos, ouvimos histórias inspiradoras, experiencias de outras pessoas, vamos a seminários e aprendemos com quem se diz “mestre”, e dizemos que é desta vez. Mas passa um dia, passa outro e voltamos à nossa vida de sempre, com as mesmas acções e os mesmos pensamentos.
É difícil estar bem, é difícil ser nós mesmos, deixar o passado, os apegos, abandonar os hábitos, a vida toxica, é difícil aceitar a vida.
Para mudar temos que Ser Valentes, temos que abandonar a "normose".
Temos que aprofundar raízes dentro de nós mesmos, ganhar força para nos dominar, enfrentar o medo. Quando esta forma de Consciência chega à Vida pratica, somos “senhores da nossa Vida”.
Muitas vezes percebemos que nosso propósito de vida é muito diferente daquilo que pensávamos.
Sabem que escrever, falar, escutar, é fácil?
O difícil é fazer o que nosso interior nos pede, e estar disposto a mudar…

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O que de Verdade importa?

imagem retirada net
Todos temos objectivos, nem que seja o objectivo de não ter objectivos.
Somos motivados a tê-los.
Ter objectivos, cria esperança, mantêm-nos activos, faz-nos sentir “vivos”, e nesta vida temos de Ser, de Ter, de Conquistar, no fundo de Evoluir.

Mas será que escolhemos bem os nossos objectivos?
 Será que os escolhemos à luz da Consciência?
Será que estamos a fixar a nossa atenção no que realmente merece a pena?

 Numa aula de filosofia, o professor, pegou uma garrafa de vidro grande e começou a enche-la com bolas de golfe, e perguntou aos alunos se a garrafa estava cheia? Os alunos afirmaram que sim.
O professor tirou uma caixa, de ímanes pequenos e deitou na garrafa preenchendo os espaços entre as bolas. De novo perguntou, se a garrafa estava cheia, os alunos voltaram a dizer que sim.
Mas a experiencia continuou e o senhor tirou uma caixa com areia e esvaziou-a na garrafa.
- E agora está cheia? Responderam com um sim unânime.
O professor sorriu:
- Acham que não cabe mais nada?
- Não, está cheia.
Rapidamente, o professor tira duas cervejas e despejas na garrafa, o liquido chegou a todos os espaço vazios entre a areia. Os estudantes riram em bom som.
Foram-se acalmando e o professor disse:
- Quero que fixeis que esta garrafa representa a Vida. As bolas de golfe são as coisas importantes como a família, os filhos, a saúde, os amigos, o Amor, coisas que te apaixonam. Estas, são aquelas que mesmo que não houvesse mais nada, mesmo assim a vida estaria cheia.
Os Imanes são as coisas que nos importam, como o trabalho, a casa, o carro… a areia são as restantes coisas pequenas.
Se, puséssemos primeiro a areia na garrafa, não havia espaço nem para os ímanes, nem para as bolas de golfe. O mesmo sucede com a vida.
Se utilizarmos todo o nosso tempo e energia com coisas pequenas, não vamos ter lugar para as coisas realmente importantes. Presta atenção às coisas que são cruciais para a Felicidade.
Concede tempo para ti, para a família, brinca com os filhos, cuida da saúde, oferece coisas, sorrisos, pratica o que gostas. Vai haver sempre tempo para limpar a casa, ir ás compras, tratar da burocracia. Ocupa-te primeiro das bolas de golfe que são as coisas que realmente importam. Estabelece prioridades, porque o resto é só areia.
Um dos alunos levantou a mão e perguntou:
- O que representa as cervejas?
Com um grande sorriso o professor respondeu:
- Fico contente por me fazeres essa pergunta! A cerveja é para demonstrar que mesmo que tua vida pareça cheia, sempre há lugar para duas “canecas” com um amigo.
 E, Nós enchemos a nossa Vida com quê?

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Má Digestão…a Hidroterapia ajuda.

imagem retirada net
De manhã, pelo menos uma hora antes do pequeno-almoço, beber aos goles 1 copo de água tépida, ou quente no caso de excesso de acidez gástrica.
Fazer depois, flexões com os joelhos, se possível diante de uma janela aberta, e massajar o abdómen energeticamente com a mão humedecida em agua fria, durante 5 minutos: ouvirá um gorgolejo quando a agua passa do estômago para o intestino. Depois disso tomar um banho a 35º-36º, que deve terminar com uma aplicação de duche frio.
Para aliviar o estômago da congestão crónica, desvia-se o sangue para a superfície mediante compressas frias duplas abdominais, aplicadas 2 vezes por dia, sendo uma delas no momento de ir para a cama. A compressa conserva-se pelo menos 1 hora.
A Hidroterapia em geral é utilizada para dar tonicidade a todo o corpo e regenerar a capacidade digestiva. Bastam para o efeito duches frequentes no estômago e abdómen, depois em todo o corpo, começando a 36º , descendo gradualmente a temperatura à medida que se for habituando, até usar agua fria. (1)
(1) do livro de Grudun Dalla Via  - a Hidroterapia

Os portadores da Frequência

O movimento exterior para a forma não se expressa com igual intensidade em todas as pessoas.
Algumas sentem um forte ímpeto para construir, para criar, para se envolverem, para alcançar determinados fins, para criar impacto no mundo. Se forem inconscientes, o seu ego irá obviamente domina-las e usar a energia do ciclo exterior em proveito próprio. Contudo, isto reduz substancialmente o fluxo de energia criativa disponível para elas, que têm assim uma necessidade cada vez maior de confiar nos seus “esforços” para obterem o que querem.
 Se forem conscientes, essas pessoas, nas quais o movimento para o exterior é forte, serão altamente criativas.
Outras são pessoas mais introspectivas por natureza e, para elas, o movimento exterior para a forma é mínimo. Preferem regressar a casa do que sair. Não tem qualquer desejo de se envolver intensamente em algo, nem de mudar o Mundo. Se tiverem ambições, geralmente não vão para além de encontrar algo para fazer que lhes dê um certo grau de independência.
Algumas acham difícil, adaptarem-se a este Mundo.
Algumas têm a sorte de encontrar um cantinho protector onde podem levar uma vida abrigada, um emprego que lhes proporciona um salário regular ou um pequeno negocio seu.
 Outras podem sentir-se impelidas a viver numa comunidade espiritual ou num mosteiro.
Outras ainda podem tornar-se delinquentes e viver à margem de uma sociedade com a qual sentem ter muito pouco em comum.
Algumas optam pelas drogas porque consideram a vida neste mundo demasiado dolorosa.
 Outras acabam por se tornar Curadores ou Professores Espirituais, ou seja professores do Ser.
Noutras Eras, talvez lhes tivessem chamado contemplativos.
Aparentemente, não há lugar para estas pessoas na nossa civilização contemporânea. Porem, no novo Mundo que está a surgir, o papel delas é tão vital como o dos criadores, dos empreendedores, dos reformadores.
A sua função é fixar a frequência da nova consciência neste planeta.
 Eu chamo-lhes portadores da frequência.
Estão aqui para gerar consciência através das actividades da Vida rotineira, através das suas interacções com os outros ou simplesmente através do facto de “serem”.
Desta forma, dotam aquilo que é aparentemente insignificante de um profundo significado.
A sua missão é trazer o silêncio do Espaço a este Mundo, estando absolutamente presentes em tudo o que fazem.
Há consciência e, por conseguinte, qualidade em tudo o que fazem, mesmo nas tarefas mais simples.
O seu propósito é fazer tudo de forma Sagrada.
Uma vez que cada ser humano é parte integrante da consciência humana colectiva, estas pessoas afectam o Mundo de forma muito mais profunda do que é visível à superfície das suas vidas.

Retirado do livro: Um novo Mundo de Eckhart Tolle

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Nós curamos o Autismo de nosso filho

Por Karyn Seroussi
Tomado de PARENTS Magazine, edição de Fevereiro de 2000
imagem retirada net
Quando o psicólogo que estava a examinar nosso filho de 18 meses nos diz que acreditava que Miles tinha Autismo, meu coração começou a bater forte. Não sabia o que queria dizer esta palavra exactamente, mas sabia que era mau. Não era o autismo uma doença mental – quem sabe esquizofrenia da juventude? Me lembrei de ter ouvido dizer que este transtorno era causado por traumas emocionais na infância. Naquele momento, todas as ilusões de segurança no mundo desapareceram.

Nosso pediatra nos referiu uma consulta ao psicólogo em Agosto de 1995 porque Miles não compreendia nada daquilo que dizíamos. Ele tinha-se desenvolvido de uma forma perfeitamente normal até aos 15 meses, mas aí tudo se complicou, deixou de dizer palavras que tinha aprendido – vaca, gato, dançar – e começou a se interiorizar, a desaparecer de si mesmo. Supusemos como causa do seu silêncio as suas infecções crónicas de ouvido, mas depois de três meses, ele realmente tinha-se retirado para o seu próprio mundo.

Repentinamente, nosso filho feliz, já nem reconhecia a irmã de 3 anos. Miles não olhava directamente e nem sequer tentava comunicar. Seus actos tornaram-se cada vez mais estranhos. Ele arrastava a cabeça pelo chão, caminhava com a ponta dos pés (muito comum nos autistas, fazia sons estranhos com a garganta, passava largos períodos a repetir as mesmas acções, tais como abrir e fechar portas, ou enchendo e esvaziando uma taça de areia. Ás vezes gritava inconsolado, se negava a receber abraços e desenvolveu diarreia crónica.

Logo aprendi que o autismo – Desordem do espectro autista, como chamam os médicos - não é uma doença mental.
É uma deficiência no desenvolvimento, que se pensa ser causada por uma anomalia no cérebro. O National Institutes of Health estima que pelo menos 1 em cada 500 crianças está afectada. Mas segundo alguns estudos recentes a incidência está a aumentar rapidamente.
Na Florida, por exemplo, o numero de crianças autistas tem vindo aumentar em quase 600% nos últimos 10 anos.
No entanto, embora seja mais comum do que a síndrome de Down, o autismo continua a ser um dos transtornos de desenvolvimento pouco compreendido.

Nos disseram que quando crescesse, Miles iria estar severamente incapacitado. Que não ia fazer amigos, não ía ter uma conversa com sentido, não conseguia acompanhar as outras crianças numa escola normal e não ia conseguir viver independente. Somente podíamos esperar que a terapia comportamental lhe ensinasse algumas habilidades, que ele sozinho nunca iria desenvolver.

Eu sempre pensei que a pior coisa que podia acontecer a uma pessoa era perder um filho. E naquele momento, era o que me estava acontecer, e de uma maneira perversa e inexplicável.
No lugar de receber apoio, recebi olhares de desconforto por parte dos amigos.

Depois do diagnóstico inicial de Miles, eu passava horas e horas na biblioteca, investigando a razão pela qual meu filho tinha mudado tão repentinamente. Foi quando eu olhei um livro que mencionava um menino autista cuja mãe acreditava que os seus sintomas tinham sido provocados por uma “alergia cerebral” ao leite.

Eu nunca tinha ouvido falar nisto, mas esta ideia permaneceu na minha mente, porque Miles bebia muito leite. Também recordei, que poucos meses antes, minha mãe tinha lido que muitas crianças tinha infecções crónicas de ouvido devido alergia ao leite e ao trigo. Ela dizia: “ tu devias eliminar esses alimentos da alimentação do Miles e ver se os ouvidos melhoravam”. Eu insistia: “ mas leite, massa, queijo e cereal Cheerios são as únicas coisas que ele come, se as elimino, ele morrerá de fome”.

As infecções de ouvido de Miles tinham começado quando ele tinha 11 meses de idade, precisamente quando mudamos do leite de Substituição para o leite de vaca. Ele tinha bebido o leite de substituição até aquela altura, porque minha família tinha um historial de alergias. Eu tinha-o amamentado até aos 3 meses, mas ele não tolerava muito bem o leite materno – talvez porque eu bebesse muito leite. Então não havia nada a perder e decidi eliminar todos os lácteos da sua dieta.

E deu-se um milagre. Miles deixou de gritar, e já não passava tanto tempo a repetir tarefas, após uma semana já descia as escadas sozinho. Pela primeira vez em meses permitiu ser levado pela mão da sua irmã e ouviu-a cantar-lhe uma canção.

Duas semanas depois, ou seja um mês após ter sido observado pelo psicólogo, eu e meu marido voltamos ao pediatra para confirmar o diagnóstico de autismo.
 A Drª. Susan Hyman fez-nos muitas perguntas e vários testes a Miles. Nós descrevemos as mudanças de comportamento desde que deixou de consumir produtos lácteos. Finalmente a Drª Hyman nos olhou com tristeza e nos disse: “Sinto muito. Seu filho é autista. Admito que o assunto da alergia ao leite é interessante, mas acredito que não é o responsável pelo autismo de Miles, ou da sua recente melhoria.”

Miles surpreendeu a todos
Sentiamo-nos muito desencorajado, mas á medida que passava os dias, Milles continuava melhorando. Passado uma semana, sentei-o no meu colo e olhamos nos olhos um do outro, ele sorriu.
Chorei – finalmente ele parecia saber quem era. Até então, tinha ignorado a irmã, mas agora viu-a a jogar e até se chateou por ela tinha mexido nas suas coisas.
Milles passou a dormir bem, mas a sua diarreia continuou.
Iniciou um programa de conduta de comportamento e linguagem, que a Drª.Hyman tinha aconselhado.
Sou uma mulher por natureza céptica e meu marido é  investigador científico, e nós resolvemos testar a hipótese de o leite ser a causa de alteração de comportamento do Milles.
Numa manha coloquei-lhe óculos, mas no final do dia já estava andando em bicos de pés, com a cabeça pelo chão, a fazer sons estranhos e outros comportamentos que eu já tinha esquecido. Descobri que ele tinha comido queijo na charcutaria. Fiquei completamente convencida que os produtos lácteos estavam relacionados de alguma forma ao Autismo.

Eu queria que o Dr.ª Hyman visse como Milles estava, então enviei-lhe um vídeo, com ele o pai e a irmã a brincarem. Ela ficou muito surpreendida com o desenvolvimento de Milles, até disse: “ Karyn, se não tivesse sido eu a fazer o diagnostico, não acreditava que era a mesma criança”.

Eu, tinha de descobrir se as outras crianças tinham experiencias semelhantes e descobri um grupo de apoio ao autismo na internet. E, com alguma vergonha, perguntei: “será que o autismo do meu filho está relacionado com o consumo de leite?”
A resposta foi esmagadora. Perguntaram se eu não tinha ouvido falar do Dr. Karl Reichelt na Noruega? Ou de Paul Shattock de Inglaterra? Eram dois pesquisadores que tinham relatórios de quase 20 anos, provando que os produtos lácteos agravam os sintomas de autismo.
Meu marido que tem conhecimento de química copiou artigos de jornais, e da internet e estudou tudo detalhadamente.
Tomou conhecimento de que existia a teoria, que as crianças com autismo  "quebravam" as proteínas do leite (caseína) em peptídeos, que por sua vez afectavam o cérebro da mesma maneira que drogas alucinógenias.
Um grupo de cientistas – alguns eram pais de crianças autistas – tinham descoberto compostos com opiáceos – uma classe de substâncias, que incluíam ópio e heroína – na urina de crianças autistas.
 Os investigadores teorizam que estas crianças tem falta de uma enzima que quebra os peptídeos de uma forma digerível, como tal não acontece os peptídeos infiltram-se na corrente sanguínea antes de serem digeridos.
Com alguma emoção, eu percebi que a explicação fazia sentido, pois meu fillho, Milles tinha tido um desenvolvimento normal no seu primeiro ano de vida, ou seja, antes de entrar nos produtos lácteos. E também explicava a sua vontade de querer sempre mais leite. Os opiáceos são muito viciantes, e mais, o autismo é muitas vezes comparado com as atitudes de alguém que alucina com LSD.
Outra proteína que se decompõe de maneira tóxica é o glúten – que se encontra no trigo, no centeio, na aveia e que é adicionado aos alimentos embalados. Ficou claro que o glúten também tinha que desaparecer da sua dieta. Embora tivesse uma vida ocupada, tive que aprender a cozinhar sem glúten. As pessoas com doença celíaca também são intolerantes ao glúten.
Após 48 horas sem glúten, e com 22 meses, Milles fez pela primeira vez fezes sólidas e seu equilíbrio e cordenação motora melhorou drasticamente. Um ou dois meses depois, começou a falar – dizer, por exemplo –“zawaff” quando queria dizer girafa, e “ayashoo” quando queria dizer elefante.
No entanto, o seu pediatra, o gastrenterologista, medico que o seguiam desde o nascimento – ainda zombavam da ideia de ligação entre o autismo e a dieta. Embora a intervenção dietética fosse uma terapia segura, não invasiva para o tratamento do autismo, mesmo havendo estudos a comprovar, a maioria da comunidade médica não dava a menor importância.
Como tal, tínhamos de continuar sozinhos, então eu e meu marido começamos por assistir a conferências sobre autismo, a comunicarmo-nos com investigadores europeus. Também organizamos um grupo de apoio para pais de outras crianças autistas na comunidade. Embora alguns pais não tivessem interessados em explorar a mudança dietética em primeiro lugar, muitas vezes mudavam de ideias ao conhecer Milles.

Nem todas as crianças com autismo respondem positivamente à dieta, mas havia cerca de 50 famílias cujos filhos estavam a faze-la e tinham resultados animadores.

Felismente, encontramos um novo pediatra, que nos deu muito apoio, e Milles estava indo tão bem, que eu pulava da cama todas as manhãs para ver alterações nele. Um dia, quando já tinha 2 anos e meio, e agarrou um dinossauro para me mostrar, e disse: “ Wook, mamãe  issa tywannosaurus wex”. Surpreendida, segurei suas mãozinhas e disse: “chamas-te me mãe”, ele sorriu e deu-me um abraço que durou muito tempo.

Quando Milles completou 3 anos, todos os médicos concordaram que seu autismo tinha sido curado. Seus testes apresentavam um rendimento de 8 meses acima da sua idade nas áreas: social, linguagem, auto-ajuda e habilidades motoras. Entrou para a pré-escola, sem apoio especial. Seu professor disse-me que era uma das crianças mais agradáveis, faladoras e participativas na sala de aula.

Actualmente com 6 anos é uma criança normal. Lê, tem amigos, relaciona-se muito bem com sua irmã e brinca com jogos imaginativos, procedimentos nunca visto em crianças com autismo.

Meus medos nunca se tornaram realidade. Somos muito afortunados.

No entanto, eu imaginava outros pais na mesma situação e sem terem a sorte de ter conhecimento da dieta. Dai, em 1997  iniciei um folheto informativo, junto com uma organização de apoio internacional chamada rede Autismo para intervenção dietética (ANDI), juntamente com outra mãe, Lisa Lewis, autora de "dietas especiais para crianças especiais" (editora Future Horizons, 1998).
Recebemos centenas de cartas de pais de todo o Mundo, cujos filhos tem usado a dieta com sucesso.
Infelizmente, a maioria dos médicos permanecem cépticos.

Continuei a investigar o que tem vindo a emergir sobre o autismo e para mim é um distúrbio relacionado ao sistema imunológico.
A maioria das crianças autistas faz vários tipos de alergias alimentares para além do leite e do trigo.
Quase todos os pais de autistas do nosso grupo são pessoas com historial de doenças relacionadas com o sistema imunológico: doenças de tiróide, doença de crohn, doença celíaca, artrite reumatóide, síndrome de fadiga crónica, fibromialgia, ou alergias. Crianças autistas podem ter uma predisposição genética para anormalidades do sistema imunológico, mas o que é que faz com que a doença desencadear?

Muitos pais juram que o comportamento de seus filhos autistas começou aos 15 meses, após a toma da vacina tríplice (sarampo, papeira, rubéola).
Ao ver os vídeos e fotos de Milles com 15 meses, tive de admitir que ele começou a perder as suas competências linguísticas e sociais após ter tomado a vacina tríplice (em inglês MMR), tanto que após a toma tivemos que leva-lo no centro de saúde pois tinha febre de 40º e convulsões febris.
Recentemente, um pesquisador britânico, Dr. Andrew wakefield publicou um estudo, no qual responsabilizava a vacina do sarampo de danificar o intestino delgado – o que pode ajudar a explicar o mecanismo pelo qual os peptídeos alucinógenios passam para a corrente sanguínea. Se, se verificar que a vacina tríplice, desempenha um papel importante no aparecimento do autismo, podemos investigar que crianças são mais susceptíveis, para que não venham a ser vacinadas ou então numa idade posterior.

Pesquisadores da divisão Ortho Clinical Diagnostics da Johnson & Johnson, sendo meu marido um deles – estão a estudar a presença anormal de peptídeos na urina de crianças autistas. Minha esperança é que a dieta passe da esfera da medicina alternativa para a convencional.

A palavra autismo não tinha significado para mim,  mas mudou completamente a minha vida. Chegou a minha casa como um hóspede monstruoso que não tinha sido convidado, mas tenho de admitir que trouxe seus próprios presentes. Eu me senti abençoada duas vezes – uma foi a maravilhosa fortuna de recuperar o meu filho e também por ter sido capaz de ajudar outras crianças autistas que foram desenganadas pelos médicos. 
Para conhecerem mais sobre o autismo e a autora desta historia carregue aqui
http://www.axel.org.ar/articulos/autismo/curamos.htm

Medicamento Homeopático para Cãibras

Imagem retirada da net
As Cãibras são contracções involuntárias e dolorosas de um músculo ou de um grupo muscular.
Os medicamentos diuréticos (fazem urinar) quando tomados muito tempo, podem originar cãibras pela perda de potássio.
A grande recomendação homeopática, quase sempre eficaz, é o CUPRUM 5CH ou o CUPRUM 7CH.
Tomar 3 grânulos no momento das dores, repetir de quarto em quarto de hora em função das melhoras.
Como prevenção tomar 3 grânulos 2 vezes ao dia afastados das refeições.
Este medicamento homeopático vende-se em Portugal nas farmácias ou parafarmacias que vendem homeopatia, no caso de não terem podem encomendar.
Preço estimado: 5 a 6 Euros.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Sim… é Verdade…o Pai Natal existe.

Há muito, muito tempo, havia uma menina chamada Virginia, e ela estava confusa, não tinha a certeza se o Pai Natal existia ou não. Alguns de seus amigos diziam que não, mas seu pai acreditava que tudo o que vinha no Jornal “The Sun” é porque existia.
Assim Virginia pensou que o melhor seria escrever ao Jornal e perguntar.
Teve sorte, porque o jornal recebe muitas cartas todos os dias e não pode responder a todas elas, mas esta era muito importante para as meninas e meninos. E, em 21 de Setembro de 1897 se publicou a carta de Virginia e a resposta do jornalista Francis Pharcellus.

O recorde de Jornal dizia o seguinte:
Para nós, é um prazer responder de imediato à comunicação escrita abaixo, expressando ao mesmo tempo nossa imensa satisfação pela iniciativa de sua autora, que se encontra entre os amigos do Jornal The Sun:
Querido director:
Tenho oito anos.
Alguns de meus amigos dizem que o Pai Natal não existe.
Papá diz: “ se o vês no The Sun, então existe”.
Por favor, diga-me a verdade. Existe o Pai Natal?
Virginia O´Hanlon
115 West 95th Street

Virginia, teus amigos estão equivocados. Eles têm sido afectados pelo cepticismo de uma Era céptica. Só crêem no que vêem. Pensam que algo não é possível se suas pequenas mentes não são capazes de o entender. Todas as mentes, Virginia, seja de homens ou de crianças, são pequenas.
Neste grande Universo, o Homem é um mero insecto, uma formiga no seu intelecto, quando comparado com o Mundo infinito ao seu redor e quando medido pela inteligência capaz de entender toda a verdade e todo o conhecimento.
Sim, Virginia, existe o Pai Natal. Ele existe da mesma forma que existe o Amor, a Generosidade, e a Devoção, e nós sabemos que estas coisas existem, dando mais beleza e alegria à Vida.
Ai! Que aborrecido seria o Mundo se não existisse Pai Natal! Seria tão aborrecido como se não existissem Virginias. Deixava de existir a Fé, a Poesia, não haveria mais romance para embelezar a nossa existência.
Não tínhamos mais prazeres, excepto o dos sentidos e da visão.
A Luz Eterna com a qual as crianças enchem o Mundo seria apagada.
Não acreditar no Pai Natal! É como não acreditar em fadas!
Podias pedir ao teu pai que contratasse homens para vigiar as chaminés na Noite de Natal para agarrar o Pai Natal, mas mesmo que eles não vissem ele descer, o que provaria isso?
Ninguém vê o Pai Natal, mas isso não prova que ele não exista.
As coisas mais reais no Mundo são aquelas que os homens e as crianças não podem ver com seus olhos.
Já vistes, alguma vez fadas a dançar sobre a relva?
Tenho certeza que não, mas não há nenhuma prova que elas não estejam lá. Ninguém é capaz de conceber nem de imaginar todas as maravilhas que permanecem ocultas no Mundo. Existe um véu cobrindo o mundo invisível, que nem o homem mais forte, nem mesmo a força unida de todos os homens poderia quebra-lo.
Somente a Fé, a Poesia, o Amor, o Romance, podem afastar essa cortina e ver e admirar a Beleza que está escondida atrás do sobrenatural.
É tudo real?
Ah! ViRGINIA, em todo o Mundo não existe nada real e duradouro.
Pai Natal, ele vive e vive para sempre. Mil anos a partir de agora, não dez vezes mil anos a partir de agora, e ele continuará alegrar os corações dos pequeninos.
Podem confirmar esta historia em Newseum

Quando vossos filhos perguntarem, assim como a Virginia, se existe Pai Natal, pensem nesta resposta. Assim o sonho continua, porque o sonho comanda a Vida...

Tratamento natural da Diverticulose

A Diverticulose é um problema de saúde, na qual o intestino projecta para fora pequenas bolsas, como mostra a figura acima.
Quando estas cavidades inflamam devido á presença de fezes, estamos perante um quadro de Diverticulite.
Muitas pessoas idosas tem divertículos no cólon, mas desconhecem, pois a grande maioria é assintomática.

Sintomas da Diverticulite (quando o divertículo inflama)
- Dores abdominais, sendo muitas vezes de surgimento rápido, localizadas na parte inferior do lado esquerdo.
- Episódeos ocasionais de febre.
- Leucocitose (aumento dos glóbulos brancos).
- Podem surgir cambrãs.
- Náuseas, azia e vómitos.
- Inchaço e sensibilidade do lado esquerdo do abdómen que alivia ao expulsar gases ou a evacuar.
-Muitas vezes tem-se a sensação de querer evacuar permanentemente.
-Fezes com sangue

Normalmente esta doença afecta pessoas maiores de 50 anos e, é  favorecida pelas dietas modernas, refinadas e pobres em fibra. Esta enfermidade é rara em culturas onde se consome mais verduras, peixe, fruta e comidas ricas em fibras.
A prisão de ventre crónica é um factor importante no desenvolvimento da diverticulite.
Quando o corpo está neste estado, significa que tudo está fora de equilíbrio e a harmonia natural dos sistemas internos está comprometida. O corpo grita por ajuda, dando noites de insónia, aumentando os níveis de stress ao longo do dia.

O que fazer?
Normalmente a pessoa vai ao médico, descobre a sua doença, passa na farmácia, onde os medicamentos são oferecidos como “porto de abrigo”. A atracão pelo fácil, leva-nos quase sempre a combater o sintoma, mas além de aliviar, os medicamentos adicionam mais ácido ao corpo causando problemas de saúde em outras áreas. Para aqueles que não querem tomar fármacos e preferem uma forma Natural de controlo, deixo aqui algumas dicas.

- Não coma alimentos com sementes, como tomate e pipoca, fique longe de pratos que tenham cominhos e sementes de sésamo (gergelim). As sementes podem se alojar nos divertículos e causar inflamação.
- Não coma carne, principalmente vermelha e de porco. O peixe não provoca tanta inflamação.
- Beber bastante água. Os líquidos tornam o conteúdo do intestino húmido, o que diminui a pressão dentro do cólon, que pode ser responsável pela formação das bolsas. Tente beber 8 copos de água, ou infusões por dia.
- Exercite-se regularmente, ande, corra. Desportos com raquetes parecem beneficiar o paciente.
- Viva com tranquilidade. Quando se fala de saúde digestiva, não é só o que você come, mas Como come que é importante. Faça suas refeições sem stress, com calma, sem distracções. Não coma em pé, e se possível faça uma oração de agradecimento, ou feche simplesmente os olhos e respire fundo.
- Deve evacuar todos os dias,  mas evite fazer muito esforço.
- Durante a crise, fazer jejum, ajuda a descongestionar o intestino.
- Aplicar cataplasma de argila. Pode aplicar durante o dia em situações dolorosas, ou ficar toda a noite.
- Aumentar o consumo de fibras, principalmente o farelo de aveia, mas evite o farelo de trigo, o leite e lácteos, assim como carne e fritos.
- Beba sumo com folhas verdes (o famoso suco da luz do sol). Todos os vegetais de folhas verdes são boa fonte de Vitamina K, muito útil nas pessoas com má absorção, além disso é rico em clorofila que é um desinfectante.
- Rebentos de Alfalfa. É um dos alimentos-medicamento nestas situações. A Alfalfa é muito fácil de germinar em casa e riquíssima.
- O Carvão Vegetal pode ser benéfico no ataque agudo, tomar somente dessa altura e separado de outros medicamentos.
- Beber infusão de Malva, planta rica em mucilagem, emoliente para os intestinos.
- Infusão de Hortelã-Pimenta, esta erva mentol alivia a dor, a inflamação, e combate leveduras e micróbios. Alivia cólicas e gases.
- Beba infusão de Camomila junto com Valeriana. Parece ser um otimo tratamento nas disfunções gastrointestinais como é o caso da diverticulite, basta para isso beber 3 chávenas ao dia.
- Psyllium (plantago ovata), esta planta é rica em mucilagem e conta com uma longa historia no tratamento da prisão de ventre e diverticulite.
Começar com doses pequenas, pois pode provocar diarreia. Vende-se em cápsulas.
- Aloé Vera – planta muito importante neste desequilíbrio de saúde. O gel das folhas tem efeito anti-inflamatório calmante nas paredes intestinais e importante actividade antibacteriana. Usar unicamente o gel, nunca a folha inteira e nunca o líquido amarelo, pois é um laxante potente.

Quando queremos, podemos sempre ajudar o nosso corpo a controlar qualquer patologia, e ajudar significa dar-lhe aquilo que ele precisa para executar a tarefa da Cura, confiando que a sabedoria do corpo está acima de qualquer conhecimento humano.